Featured

Programa

 

Lançar Diálogos: Crítica de Artes do Espectáculo e Esfera Pública
COLÓQUIO  INTERNACIONAL DE CRÍTICA DE TEATRO
8 a 11 de Junho de 2016
Lisboa | Porto

Organização:
Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa
Centro de Estudos de Teatro (CET)
Associação Portuguesa de Críticos de Teatro (APCT)
FITEI – Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica
8 e 9 de Junho de 2016 | Lisboa | Faculdade de Letras
Coordenação do Colóquio em Lisboa: Maria João Brilhante e Bene Martins
Programa
quarta-feira| 8 de Junho
10h00 | Anf. IV
Sessão de Abertura:
– Director da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, Professor Doutor Paulo Jorge Farmhouse Simões Alberto e a Directora do Centro de Estudos de Teatro da FLUL, Professora Doutora Maria João Almeida
10h30 | Anf. IV
A cena da crítica contemporânea: artes expandidas e sociedades contraídas
Conferência por Luiz Fernando Ramos (ECA/Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo / Crítico de Teatro da Folha de São Paulo).
11h45 | Pausa para café
12h00 | Anf.IV | A crítica de artes do espectáculo e o diálogo com a cidade
Andrea Carvalho Stark (UFRJ /Universidade Federal do Rio de Janeiro): A crítica leiga do “escritor-público” e o público de Martins Pena e Gonçalves de Magalhães
Davi de Oliveira Pinto (Instituto de Filosofia, Artes e Cultura da UFOP/Universidade Federal de Ouro Preto): Mediação teatral na escola pública de Educação Básica: a crítica das artes do espetáculo enquanto componente transversal da formação de espectadores
Francisco Mallmann (PUCPR/Pontifícia Universidade Católica do Paraná): A cidade sem crítica – Sobre teatro e impermanência em Curitiba
Moderação: Professora Bene Martins
13h15 | pausa para almoço
14h30 | Anf. IV | A crítica de dança: das abordagens éticas e estéticas
Paula Varanda (Middlesex University): Ética na estética da dança contemporânea
Ana Mira (FCSH–UNL/Faculdade de Ciências Sociais e Humanas –Universidade Nova de Lisboa): “I am stepping in and out of reality…tell me how to fight”: Actos críticos, na dança e filosofia
Rosana Rosário (UFPA/Universidade Federal do Pará): A Sagração da Primavera e a dança-teatro de Pina Bausch
Moderação: Gustavo Vicente
15h45 | pausa para café
16h 00 | Anf. IV |  A análise de espectáculos no discurso crítico contemporâneo: entre a crítica e a dramaturgia
Valéria Frota de Andrade (Escola de Teatro e Dança da UFPA/Universidade Federal do Pará): “Parésqui” – o olhar criador sobre o espetáculo e o processo criativo
Cássia Pires (UFMA/Universidade Federal do Maranhão / UL – Universidade de Lisboa): Performance, metropolis e o “silêncio” de uma rainha.
Denise Zenícola (UFF/Universidade Federal Fluminense): Um ator chamado Carolina: memória de resistência
Moderação: Ana Pais
17h15 | pausa para café
17h30 | Anf. IV | Lançar diálogos através da análise de espectáculos
Newton Souza (doutorando da FLUL/Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa): Relações de representação: espaço cénico e análise espectacular
Bene Martins (UFPA/Universidade Federal do Pará): Fogo Cruel em Lua de Mel: tragicomédia existencial
Moderação Maria João Brilhante
quinta-feira| 9 de Junho
10h00 | Anf. IV | Sobre a prática da crítica: liberdade, autoridade, responsabilidade?
Ana BigotteVieira (IFILNOVA – Instituto de Filosofia da Nova / IHC – Instituto de História Contemporânea, UNL – Universidade Nova de Lisboa; Centro de Estudos de Teatro, UL – Universidade de Lisboa): De uma crítica e seus destinos: pensamento crítico e suportes de discussão e publicação
Michele Campos de Miranda (UFPA/Universidade Federal do Pará / Université Paris 8): (A)TRAINDO MEMÓRIAS – busca de si como processo poético
Fernando Matos Oliveira (UC/Universidade de Coimbra / TAGV-Teatro Académico Gil Vicente): A Crítica e as Práticas de Investigação-Criação
Alexandre Pieroni Calado (ESTC/IPL – Escola Superior de Teatro e Cinema/Instituto Politécnico de Lisboa / ECA-USP – Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo / Centro de Investigação em Artes e Comunicação UA-IPL) : Sementes no Vento
Moderação: Ana Pais
13h00 | pausa para almoço
14h30 | Anf. IV
Encenando gênero: algumas considerações críticas sobre o espetáculo X ou Y Conferência por Antônia Pereira Bezerra (Actriz e dramaturga, Professora Associada III da Universidade Federal da Bahia e coordenadora da Área de Artes/Música na CAPES)
15h15 | Os discursos da cultura na crítica contemporânea
Osita C. Ezenwanebe (University of Lagos, Akoka, Nigeria) : From the Eyes of a Critic: Nigerian Female Playwrights and the Ordeal of African Communalism
Ferdinando Martins (USP/Universidade de São Paulo / Diretor do Teatro da USP): A crítica teatral e os corpos abjetos:  mapeando o inclassificável na cena contemporânea
Moderação: Maria João Brilhante
17h00 | encerramento da primeira parte do Colóquio e preparativos para a deslocação ao Porto (segunda parte do Colóquio)

Lançar Diálogos: Crítica de Artes do Espectáculo e Esfera Pública (extensão FITEI)
10 e 11 de Junho de 2016 | Porto
Organização:
Associação Portuguesa de Críticos de Teatro (APCT)
FITEI – Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica
Coordenação da Extensão FITEI: Rui Pina Coelho
O FITEI acolhe a organização do Colóquio Internacional de Crítica de Teatro que tem uma primeira parte em Lisboa, na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, nos dias 8 e 9 de Junho, e que prolonga os seus trabalhos no Porto, no âmbito da sua programação.
Programa
Sexta-feira | 10 de Junho
10h00 | TMP – Rivoli
Training Theatre Critics | Formar críticos de teatro
Ivan Medenica (Faculty of Dramatic Arts – Belgrado / AICT) conversa com Andrea Porcheddu (Universidade Roma / Crítico de Teatro).
Moderação: Rui Pina Coelho
15h00 | TMP – Rivoli
Performing Arts Criticism and its role in the City | Crítica de teatro e o seu papel na Cidade
Mesa-Redonda com Ivan Medenica, Andrea Porcheddu, Diana Damian-Martin, Ana Bigotte Vieira e Jorge Louraço Figueira.
Moderação: Rui Pina Coelho
Seguido de Lançamento de ‘Tomar Posição’ | O Político e o Lugar  – Curso Experimental em Estudos de Performance | O baldio – Estudos de Performance.
 
Sábado | 11 de Junho
10h00 | TMP – Rivoli
Decline, Demise, Deliberation: the question of criticism in the public sphere | Declínio, demissão, deliberação: a questão da crítica na esfera pública
Aula magistral com Diana Damian-Martin (Royal Central School of Speech and Drama / Exeunt Maganize)
Inscrições para comunicacao@fitei.com
15h00 | Teatro Nacional São João
A cena da crítica contemporânea: artes expandidas e sociedades contraídas Conferência por Luiz Fernando Ramos (Universidade de São Paulo / Crítico de Teatro)
18h00 | Teatro Nacional São João
Lançamento do n. 1, série II, da revista Sinais de cena | Centro de Estudos de Teatro da Faculdade de Letras de Lisboa / APCT | Orfeu Negro.

 

Aula Magistral com Diana Damian-Martin

Lançar Diálogos: Crítica de Artes do Espectáculo e Esfera Pública
Colóquio Internacional de Crítica de Teatro (extensão FITEI)

 

Decline, Demise, Deliberation: The question of criticism in the public sphere
Declínio, demissão, deliberação: A questão da crítica na esfera pública

Aula Magistral com Diana Damian-Martin
(Royal Central School of Speech and Drama / Exeunt Maganize)
In 1989, in The Structural Transformation of the Public Sphere, Jurgen Habermas argues that the formation of the bourgeois public sphere in the 18th century developed through democratic deliberation and the exercising and constitution of public opinion. Habermas is influential in tracing a relationship between criticism, deliberation and political practice that, despite its flaws, has been instrumental in thinking about criticism’s role and position in the public sphere. Habermas situates criticism and gives intellectual and political weight to its capacity to operate collectively.
In 2011, art theorist Hito Steyerl argues, in Free-Fall: A Thought Experiment on Vertical Perspective, that we find ourselves in constant free-fall, a perspective that ‘throws jaw-dropping social inequalities in sharp focus’, but also ‘a shifting formation’, a productive instability. This is a different moment for criticism; one in which we declare its fall, its deterritorialisation, but also where we profess our passion for its sustained engagement and ongoing re-formation. Yet if the ground is no longer there, then where is criticism situated? And where and what are its spaces of debate?
In this masterclass, we will use these starting points to think through the question of criticism in the public sphere. How can criticism consider and actively engage with the spaces it occupies and creates in the public sphere under these circumstances? How can we revisit notions of community and deliberation under these circumstances, where spaces of critical dialogue are in constant conflict with the mechanisms of neoliberalism? And what of public opinion- is it something to be constructed, or something to be rescued?
Entrada livre mediante inscrição prévia
Inscrições para comunicacao@fitei.com

Diana Damian Martin (Inglaterra) vive e trabalha em Londres como crítica e escritora. É “Performance Editor” na Exeunt Magazine, co-fundadora do “Writingshop”, um projecto colaborativo, europeu, que visa examinar os processos e a política da prática crítica contemporânea. É docente de Artes Performativas na Royal Central School of Speech and Drama.
Diana is a critic, writer, theorist and dramaturg working in the field of theatre and performance.  She works as a Lecturer in Performance Arts at Royal Central School of Speech and Drama and Performance Editor for Exeunt Magazine. She is the co-founder of Writingshop, a collaborative, pan-European project examining the processes and politics of contemporary critical practice, and Institute of Critical Practice, a nomadic [non] organisation that aims to explore the ways in which criticism currently manifests itself in contemporary performance as a mode of inquiry and production, strategy for visibility and practice of dissemination.

Conversa e Mesa-redonda no Porto

10h00 | TMP – Rivoli

Training Theatre Critics | Formar críticos de teatro

Ivan Medenica (Faculty of Dramatic Arts – Belgrado / AICT) conversa com Andrea Porcheddu (U. Roma / Crítico de Teatro). Moderação: Rui Pina Coelho.

Dois críticos e investigadores com um longo percurso na formação de jovens críticos de teatro em vários contextos formais – várias universidades – ou informais – seminários para novos críticos na AICT, na Bienal de Veneza entre muitos outros –, discutem o que será, afinal, preciso para formar um crítico.

 

15h00 | TMP – Rivoli

Performing Arts Criticism and its role in the City | Crítica de teatro e o seu papel na Cidade

Mesa-Redonda com Ivan Medenica, Andrea Porcheddu, Diana Damian-Martin, Ana Pais e Jorge Louraço Figueira. Moderação: Rui Pina Coelho

A crítica não vive fora da cidade. A cidade não vive (bem) sem a crítica. O que significa, para a cidade, o desaparecimento da crítica? Quem ganha com o desaparecimento da crítica? Fora da esfera pública, para que serve a crítica? Fora da esfera pública, a crítica ainda é crítica? Sem crítica, a cidade ainda é cidade?

 

 

À conversa com… | Sitting with…

 

Jorge Louraço Figueira (n. 1973) escreveu Cassandra de Balaclava (Cão Danado, 2013), Xmas qd Kiseres (OTeatrão, 2002) e O Espantalho Teso (TNSJ, 2001), entre outros textos. Traduziu Cidadania, de Mark Ravenhill (Culturgest); Senti um vazio, de Lucy Kirkwood (Casa da Esquina); e Onde é que esconderam as respostas, dos Third Angel. Formado em relacções internacionais e em antropologia social, fez a Oficina de Escrita Teatral de Antonio Mercado no Teatro Nacional de São João, Porto; o Seminário Traverse Theatre nos Artistas Unidos, em Lisboa; a Residência Internacional do Royal Court Theatre, em Londres; e o Seminário de Escrita Teatral de J. S. Sinisterra no Teatro Nacional Dona Maria II, em Lisboa. Dirigiu Conta-me como é (O Teatrão, 2014), com textos de Jorge Palinhos, Sandra Pinheiro e Pedro Marques. Dramaturgo residente no Teatrão, é docente da Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo, crítico de teatro do jornal Público e bolseiro de doutoramento da FCT. No Brasil, traduziu Ricardo III, de Shakespeare (enc. Marcelo Lazzarato), trabalhou com os encenadores Marco Antonio Rodrigues e Cibele Forjaz e publicou Verás que tudo é  verdade, sobre o grupo Folias (SP).
Jorge Louraço Figueira (born in 1973) is the author of Cassandra de Balaclava (Cão Danado, 2013), Xmas qd Kiseres (OTeatrão, 2002) e O Espantalho Teso (TNSJ, 2001), among other plays. He has translated Mark Ravenhill, Lucy Kirkwood and Third Angel. He studied International Relations and Social Anthropology; he took a masterclass in Playwriting with Antonio Macedo in São João National Theater; the Traverse Theater Seminar in Artistas Unidos; an International Artistic Residence in the Royal Court, in London, and the Playwriting Seminar of J. S. Sinisterra in Dona Maria II National Theater, in Lisbon. He directed Conta-me como é (O Teatrão, 2014), with texts from Jorge Palinhos, Sandra Pinheiro e Pedro Marques. He teaches at Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo and works as a theater critic in the daily newspaper Público. In Brasil, Jorge Louraço Figueira has translated Richard III (directed by Marcelo Lazzarato), worked with the directors Marco Antonio Rodrigues and Cibele Forjaz and published Verás que tudo é verdade (“You’ll see that everything is true”), about the theatre group Folias (São Paulo).
Ana Bigotte Vieira está presentemente a terminar o Doutoramento na Universidade Nova de Lisboa, tendo sido Visiting Scholar em Performance Studies na NYU/Tisch School of the Arts entre 2009 e 2012. A sua investigação incide sobre o papel performativo dos Museus de Arte Moderna, centrando-se nas transformações culturais por que Portugal passa após a entrada na União Europeia – e o modo como estas encontram no corpo um terreno particular de expressão. Licenciou-se em História Moderna e Contemporânea no ISCTE, tendo seguidamente estudado Cultura Contemporânea e Novas Tecnologias na Universidade Nova de Lisboa, e Estudos de Teatro na Universidade de Lisboa. Investigadora do IFILNOVA, integra o grupo Cultura, Poder e Identidades do Instituto de História Contemporânea, onde co-organizou com Luís Trindade e Giulia Bonali o ciclo Quando Foram os Anos 80?  e o grupo de Teoria e Estética das Artes Performativas Contemporâneas do Centro de Estudos de Teatro. É co-fundadora da plataforma baldio | Estudos de Performance e dramaturgista em teatro e em dança. Integra a Associação BUALA, e, juntamente com Marta Lança e José Nuno Matos, editou o número #1 da revista Jeux Sans Frontières, cuja secção no BUALA co-edita com Marta Lança. Tem organizado uma série de eventos discursivos e performativos em torno da relação entre arte e política com Sandra Lang (CH), com quem co-editou o número #2 da revista Jeux Sans Frontières. Traduziu vários autores, sobretudo de teatro e filosofia, como Mark Ravenhill, Luigi Pirandello, Aniballe Ruccello, Giorgio Agamben e Maurizio Lazzarato. Recebeu um Dwigth Conquergood Award na Performance Studies international #17, Utrecht.
Ana Bigotte Vieira is presently finishing her PhD dissertation in Universidade Nova de Lisboa. She was a Visiting Scholar in Performance Studies in NYU/Tisch School of the Arts between 2009 e 2012. Her research is about the performative role of Modern Art Museums, relating it with the cultural changes in Portugal after becoming a member of the European Union – thinking the body as a special field of expression. She has a Bachelor in Modern and Contemporary History (ISCTE) and had studied Contemporary Culture and New Technologies in Universidade Nova de Lisboa and Theater Studies in FLUL (Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa). She works as a researcher in IFILNOVA (Instituto de Filosofia da Nova) in the group “Cultura, Poder e Identidades do Instituto de História Contemporânea” (“Culture, Power and Identities of the Contemporary History Institute”) where she co-organised the cycle “Quando Foram os Anos 80?” (“When were the 80’s?”) with Luís Trindade and Giulia Bonali, and in the group “Teoria e Estética das Artes Performativas Contemporâneas” do Centro de Estudos de Teatro” (“Contemporary Performing Arts Theory and Esthetic” in Department of Theater Studies of FLUL). Ana is the co-founder of baldio (platform of performance studies) and frequently works as a dramaturg in theater and dance. She is a member of BUALA Associaton, and co-edited the number #1 of the magazine Jeux Sans Frontières (with Marta Lança e José Nuno Matos), whose section in BUALA she co-edits with Marta Lança. She has organized a group of meetings about the relation between art and politics with Sandra Lang (CH), with whom the published the number #2 of Jeux Sans Frontières. She has translated multiple authors, mainly theater and philosophy authors, such as Mark Ravenhill, Luigi Pirandello, Aniballe Ruccello, Giorgio Agamben e Maurizio Lazzarato. She won a Dwigth Conquergood Award in the Performance Studies international #17, Utrecht.
 
Rui Pina Coelho (Évora, 1975) é Doutorado em Estudos Artísticos – Especialidade em Estudos de Teatro pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. É docente na Escola Superior de Teatro e Cinema, desde o ano lectivo de 2006/2007. É Investigador Integrado no CET – Centro de Estudos de Teatro da Faculdade de Letras de Lisboa. Como autor, dramaturgista ou tradutor colaborou com Trimagisto – Cooperativa de Experimentação Teatral, Teatro o Bando, TEUC, Teatro dos Aloés e CENDREV. Desde 2010, colabora regularmente com o TEP – Teatro Experimental do Porto, enquanto dramaturgo e dramaturgista, dando apoio à direcção artística do encenador Gonçalo Amorim. É membro da Direcção da APCT – Associação Portuguesa de Críticos de Teatro e membro do Conselho Redactorial da revista Sinais de cena (2004-14).
Rui Pina Coelho has a PhD in Theater Studies by the Faculty of Letters of Lisbon University. He teaches at Escola Superior de Teatro e Cinema, since 2006, and athe Faculty of Letters, since 2014. He is a Researcher at the Centre for Theatre Studies at the University of Lisbon. As an author, dramaturg and translator he has worked with several theater companies (Trimagisto – Cooperativa de Experimentação Teatral, Teatro o Bando, TEUC, Teatro dos Aloés e CENDREV). Since 2010, he regularly collaborates with TEP – Teatro Experimental do Porto and with the artistic director, Gonçalo Amorim. Rui Pina Coelho is a co-Director of APCT (Portuguese Association of  Theater Critics ) and Director of the journal Sinais de cena (2004-14).

 

Andrea Porcheddu (n.1967) trabalha como jornalista e crítico de teatro desde 1988. Lecciona Metodologia da Crítica Teatral, é docente da Universidade de Roma no âmbito do Mestrado em Teatro Social e Dramaterapia. Entre 2001 e 2011 foi professor na Universidade de Veneza. Como crítico escreve para o sítio http://www.glistatigenerali.com/ e para o semanário Pagina99. É membro da Associação Internacional de Críticos de Teatro (AICT – IACT) e da Associação Italiana de Críticos de Teatro. Tem sido membro de vários júris de festivais italianos e europeus – entre eles o júri internacional do Festival Fadjr em 2011 (Irão) e do Festival Internacional de Teatro Mess Sarajevo em 2007 e 2015 (Bósnia). Durante 2012, colaborou como consultor artístico no Teatro Nacional de Bahrain. Andrea Porcheddu publicou vários livros de teoria e história do teatro e vários dos seus artigos foram publicados em periódicos nacionais e internacionais, como Il Sole 24 Ore (IT), L’Unità (IT), Primafila (IT), Linkiesta (IT), Pubblico (IT), Theater Der Zeit (DE) e Alternatives Théatreales (BE). Dirigiu vários programas para a Rádio Nacional Italiana, a Rádio RAI 3 e a Televisão Nacional Italiana, RAI SAT.
Andrea Porcheddu was born in 1967, he lives in Rome. He works as theater critic and journalist since 1988. He currently teaches “Theater Critic – Methodology of Theatrical Criticism”, at Rome University – “La Sapienza” (Master Degree in: Social Theater and Dramatherapy). He also has been professor at Venice University – Iuav from 2001 to 2011. As theater critic he writes for the website http://www.glistatigenerali.com/ and for the weekly newspaper Pagina99. He’s member of the International Association of Theater Critics (AICT – IACT) and of the Italian Association of Theater Critics. He has been a member of several juries in Italian, European and global Festivals – among them the international jury in Fadjr Festival in 2011 (IR); at the Mess International Festival in Sarajevo (BH) in 2007 and 2015. He has been the artistic consultant in Bahrain for the National Theatre during 2012. Andrea Porcheddu published various books in theory and history of theater, many of his articles were as well published on national and international newspapers such as Il Sole 24 Ore (IT), L’Unità (IT), Primafila (IT), Linkiesta (IT), Pubblico (IT), Theater Der Zeit (DE) and Alternatives Théatreales (BE). He also curated many radio programs for the National Italian Radio, Radio RAI 3, and for the National Italian Television, RAI SAT.
 
Ivan Medenica nasceu em Belgrado, na Sérvia. Defendeu a sua dissertação de Doutoramento (“Actualização e Desconstrução de Modelos de Encenação de Clássicos”) na Faculdade de Arte Dramática. Trabalha na FDA como professor associado, lecciona História do Drama e do Teatro Mundial e é Director do Departamento de Teoria e História. Publica regularmente em jornais nacionais e internacionais. Foi director ou co-director de cinco simpósios de críticos e académicos de teatro pelo Festival Sterijino Pozorje em Novi Sad e pela Associação Internacional de Críticos de Teatro (AICT). Tem participado em inúmeras conferências internacionais e dado palestras como orador convidado na Humboldt University (Berlim), na Yale School of Drama, ou na University of Cluj (Romania). Como crítico, Medenica recebeu cinco vezes o prémio nacional pela melhor crítica teatral. Foi o Director Artístico do Sterijino Pozorje em Novi Sad, o maior Festival de Teatro da Sérvia (2003-2007), no qual introduziu importantes mudanças estruturais, especialmente no domínio da internacionalização. Entre 2001 e 2012, foi um dos principais editores da revista Teatron que passou a ser uma das mais prestigiadas publicações de teatro na Sérvia, sendo reconhecida com um prémio internacional. Foi bolseiro da International Research Center „Interweaving Performance Cultures“ na Freie Universität em Berlim (2011-2013). É membro do Comité Executivo da Associação Internacional de Críticos de Teatro e Coordenador das suas conferências internacionais. É, também, membro do conselho editorial da Critical Stages, a revista eletrónica desta Associação. Desde Outubro de 2015, Medenica é o director artístico do fetival Bitef.
Ivan Medenica (PhD) is from Belgrade, Serbia. He defended his PhD dissertation (Actualization and Deconstruction as Models of Directing Classics) at the Faculty of Dramatic Arts. He works at the FDA as an associated professor, teaching The History of World Drama and Theatre, and holds the position of the Head of the Department for Theory and History. He regularly publishes articles in both national and international newspapers. He was the Chairman or Co-Chairman of five international symposiums of theatre critics and scholars organized by Sterijino Pozorje Festival in Novi Sad and the International Association of Theatre Critics (IATC). Medenica has participated in a number of international conferences and given guest lectures at Humboldt University (Berlin), Yale School of Drama, University of Cluj (Romania). Medenica is an active theater critic and has received five times the national award for the best theatre criticism. He was the Artistic Director of Sterijino Pozorje in Novi Sad, the leading national theater festival in Serbia (2003-2007), to which he brought some important structural changes, especially in the domain of internationalization. From 2001 to 2012, Medenica was one of the main editors of the magazine Teatron which than became the prestigious theater publication in Serbia and was awarded by an international prize. He was a fellow in the International Research Center „Interweaving Performance Cultures“ at the Freie Universität in Berlin (2011-2013). He is a member of the International Association of Theater Critics’ Executive Committee and the Director of its international conferences. He is also member of the editorial board of Critical Stages, the web journal of the Association. From October 2015, Medenica is the artistic director of Bitef festival.

 

Conferencistas Convidados

 

A cena da crítica contemporânea: artes expandidas e sociedades contraídas

Conferência por Luiz Fernando Ramos (Universidade de São Paulo / Crítico de Teatro)

 8 de Junho | 10h30 | Anf. IV
11 de Junho | 15h00 | Teatro Nacional São João
FLRLuiz Fernando Ramos (USP) possui formação em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo (1980), em Jornalismo pela Faculdade de Comunicação Social Casper Líbero (1980), é mestre em Artes Cénicas pela Universidade de São Paulo (1989) e doutorado em Literatura Brasileira pela Universidade de São Paulo (1997). É professor do Departamento de Artes Cénicas da Universidade de São Paulo desde 1998, leccionando as disciplinas de Crítica, História e Teoria do Teatro. Em 2012 tornou-se professor Associado. É Pesquisador do CNPq desde 2006 e coordena o GIDE – Grupo de Investigação do Desempenho Espetacular. É encenador, dramaturgo e documentarista. Realizou pesquisas em torno da produção teatral de Gordon Craig, Samuel Beckett, Tadeusz Kantor, José Celso Martinez Corrêa e Martins Pena. Pesquisou também em torno dos conceitos de “mimesis” e anti-teatralidade, como operadores da cena contemporânea, incluindo nesse enfoque tanto a produção estritamente teatral como a dos campos das artes plásticas, da música e do cinema. Esta investigação desdobrou-se, desde 2009, no resgate da noção de espectáculo, depurada da minimização que lhe foi atribuída por leituras generalisantes de carácter sociológico e antropológico. Estas pesquisas se concluíram em 2012 com a tese de Livre Docência defendida na ECA/USP sob o título de Mimesis espetacular: a margem de invenção possível. Em 2015 publica pela editora Annablume o livro Mimesis performativa: a margem de invenção possível dentro da coleção Artes Performativas e Filosofia, que coordena ao lado de Cassiano Quilici. Desde 2013 desenvolve pesquisa em torno do ideário estético de Gordon Craig, que remete às bases filosóficas da obra daquele artista e implicará na publicação, a partir de 2016, de tradução para o português de seus principais textos, bem como de peças e artigos de The Mask, jamais traduzidos. Foi crítico de teatro da Folha de S.Paulo entre 2008 e 2013. É editor responsável da revista Sala Preta do Programa de Pós-Graduação em Artes Cénicas da USP.

 

Luiz Fernando Ramos (USP) has a degree in Social Sciences from the University of São Paulo (1980) and in Journalism from the Faculty of Social Communication Casper Líbero (1980). He has a Master’s Degree in Performing Arts (1989) and a PhD in Brazilian Literature by the University of São Paulo (1997). He is a Professor in the University of São Paulo, in the Department of Performing Arts, since 1998, and he teaches Theater Criticism, History and Theory. In 2012, he became an Associate Professor. He is a CNPq Researcher since 2006, and he directs the GIDE – Grupo de Investigação do Desempenho Espetacular (Research Group of Spectacle Performance). Ramos works as a Director, Playwright and Documentary Researcher. He has studied Gordon Craig’s, Samuel Beckett’s, Tadeusz Kantor’s, José Celso Martinez Corrêa’s and Martins Penas’ theater productions, using concepts as “mimesis” and anti-theatricality as agents in contemporary drama, relating them with theater, visual arts, music and cinema. In 2009, this research developed by recalling the notion of “performance”, free from the constrains of sociology and anthropology studies which became his thesis defended in ECA/USP (School of Communication and Arts of University of São Paulo) under the title Mimesis espetacular: a margem de invenção possível (“Performance Mimesis: the edge of possible invention”). In 2015, the publisher Annablume published it in its collection of Performing Arts and Philosophy, which he coordinates with Cassiano Quilici. Since 2013, he researches the esthetic ideas and philosophical bases of Gordon Craig, which will result in the publication and translation to Portuguese of some of his major works as well as his plays and articles published in The Mask that have never been translated into Portuguese. Ramos has worked as a theater critic for the Folha de S. Paulo, between 2008 and 2013. He is the Chief Editor of the magazine Sala Preta of Post Graduate Programs in Performing Arts of the University of São Paulo.

 

 

Encenando gênero: algumas considerações críticas sobre o espetáculo X ou Y

Conferência por Antônia Pereira Bezerra (Actriz e dramaturga, Professora Associada III da Universidade Federal da Bahia e coordenadora da Área de Artes/Música na CAPES)

9 de Junho | 14h30 | Anf. IV | FLUL 

AntônAPia Pereira Bezerra é actriz e dramaturga, possui a Licenciatura em Artes Cénicas pela Universidade Federal da Bahia (1992). É Mestre (DEA) em Litterature Française pela Université de Toulouse II, Le Mirail (1994); Doutora em Lettres Modernes pela Université de Toulouse II, Le Mirail (1999) e Pós-Doutora em Dramaturgia pela Université du Québec à Montréal UQAM (2006). Coordenou o Programa de Pós-Graduação em Artes Cénicas (PPGAC/UFBA) por duas direcções consecutivas – biénios 2007/2009 e 2009/2011.Também foi segunda secretária eleita para o biénio 2000/2002 da Associação Brasileira de Pesquisa e Pós Graduação em Artes Cênicas. Actualmente é professora Associada III da Universidade Federal da Bahia, integra os Grupos de Pesquisa DRAMATIS e GIPE-CIT e Coordena da Área de Artes/Música na CAPES. Tem experiência na área de Teatro e Dramaturgia, com ênfase em Literatura Comparada, actuando principalmente nos seguintes temas: drama, ator, pesquisa em artes e criação.

 

Antônia Pereira Bezerra is an actress and playwright. She has a Bachelor degree in Performing Arts by the Federal University of Bahia, a Master degree in Litterature Française by Université de Toulouse II, Le Mirail (1994), a PhD in Lettres Modernes by Université de Toulouse II, Le Mirail (1999), and a Post-doctoral in Dramaturgy by Université du Québec à Montréal – UQAM (2006). She has coordinated the Post-graduate program in Performing Arts (PPGAC/UFBA; 2007/2009 and 2009/2011). She was elected for the direction of the Brazilian Association for Research and Post-graduate Studies in Performing Arts. She is an Associate Professor III in Federal University of Bahia, collaborates with the DRAMATIS and GIPE-CIT research groups and coordinates the Arts/Music section in CAPES. She has experience in Theater and Dramaturgy, in special Comparative Literature, focusing on themes as drama, actor and arts and creation research.

Call for Papers

Critical practice has gone through many changes since the late 20th century. The interdisciplinary nature of artistic practices and the roles assigned to the spectator are partly responsible for this. So, however, are the new technologies and the global circulation of modes of discourse; and the permanent (de)construction of the places they originate. A further factor is the inevitable negotiation between critical discourse and its framing socio-political and cultural conditions.
The aim of the conference is to put criticism in the public sphere, to resume the dialogue between those who create (by writing, producing shows and so on) and those who write about contemporary creation; at the same time as broadening the discussion forum on the performing arts. Different voices, with different knowledge and experience, are invited to meet at a crossroads allowing for dialogue between artists, academics and professional or non-professional critics on the vast range of contemporary theatrical creation. The aim is to increase the breadth of criticism, to resist the idea of hegemonic discourse, and encourage thought about performances and dramaturgy, bringing in currently circulating theories on creation and theatrical reception.
At a time when the changing nature of critical practice and its emergence in institutional (academic) and non-institutional (social networks) spaces is clear to all, it is important to discuss criticism terms of research and alternative production.
Who takes up the position of a critic who follows, monitors and responds to issues raised by performances and the writings of and about theatre? How does the critic deal with the various impositions their critical discourse raises, maintaining an independent position towards dominant ways of thinking and promoting clearly focused public dialogue about the production of contemporary culture? Having lost the role of mediator and / or authority, has the critic gained (or recovered) room for dissent (Rancière) or the discussion of an arts policy?
The conference will be divided between two days in Lisbon and two in Porto, during which there will lectures, papers, round tables, masterclasses and several performances from the FITEI programme.
Topics for papers may include but are not limited to the following:
Criticism and institutions
Criticism and the public sphere
Criticism, ethics, aesthetics and politics
Criticism without authority
Criticism and (re)creation
Criticism and meaning
Criticism as dramaturgy
Critical construction of the contemporary
Participative practices in contemporary criticism
Criticism without borders
Criticism and citizenship
Working Languages: Portuguese, English, Spanish, French
Important dates:
26th April: Deadline to receive proposals for papers (about 1500 characters with spaces) and a brief CV to: criticaeteatro@gmail.com
2nd May: Reply from the Scientific Board
6th May: Definitive programme announced
8th and 9th June: Conference at the School of Arts and Humanities, Lisbon University (FLUL)
10th and 11th June: the Conference continues in Porto through FITEI (To see the full programme, go to the Festival site at http://www.fitei.com/)
Organising committee:
Bene Martins
Joana Pajuelo Alves
Maria João Almeida
Maria João Brilhante
Mick Greer
Rui Pina Coelho
Scientific Board:
Ana Pais (CET)
Andrea Porcheddu (U. Roma)
Bene Martins (UFPA)
Christine Zurbach (UEvora)
Diana Damian-Martin (Royal Central School of Speech and Drama)
Fernando Matos Oliveira (FLUC)
Fernando Mencarelli (UFMG)
Jorge Louraço Figueira (ESMAE / Jornal Público / APCT)
Maria Helena Werneck (UNIRIO)
Maria João Brilhante (FLUL)
Contact:
criticaeteatro@gmail.com / estudos.teatro@letras.ulisboa.pt

Chamada para Comunicações

O exercício da crítica tem vindo a ganhar diferentes contornos desde o final do século XX. Isso deve-se ao carácter interdisciplinar das práticas artísticas e aos papéis atribuídos ao espectador, aos novos meios tecnológicos e modos de circulação global dos discursos, à permanente (des)construção dos lugares de onde estes emanam e a uma inevitável negociação entre os discursos críticos e as condições sociopolíticas e culturais que os enquadram.

Neste Colóquio pretende-se lançar a crítica na esfera pública, reatar o diálogo entre quem cria (escreve, produz espectáculos…) e quem escreve sobre a criação contemporânea, bem como alargar o fórum de discussão das artes do espectáculo, convocando saberes e as experiências num cruzamento de vozes que ponha em diálogo artistas, académicos, críticos profissionais ou não acerca da criação teatral contemporânea nas suas múltiplas manifestações. Trata-se de expandir a crítica, de oferecer resistência a uma ideia de discurso hegemónico, de potenciar a produção de pensamento sobre espectáculos e dramaturgia, convocando as teorias que circulam no espaço comum da criação e da recepção teatral.

Num momento em que se torna evidente a natureza mutante das práticas críticas e a sua emergência em espaços institucionais (academia) e não institucionais (redes sociais) interessa também discutir a crítica como pesquisa e como produção alternativa.

Quem ocupa o lugar do crítico que segue, acompanha e reage às questões suscitadas pelos espectáculos e pelos escritos de e sobre teatro? Como lida com as diferentes injunções que suscitam o seu discurso crítico, mantendo uma posição independente perante modos de pensar dominantes e promovendo um diálogo público escrutinador acerca da produção contemporânea de cultura? Perdido o papel de mediador e/ou autoridade, terá o crítico ganho (ou recuperado) o espaço de dissenso (Rancière) ou de discussão sobre uma política das artes?

Serão dois dias de encontro em Lisboa e dois dias no Porto, durante os quais a substância dos trabalhos incluirá vários formatos: conferências; comunicações; mesas redondas; masterclasses; e vários espectáculos no âmbito da programação do FITEI.

Lançamos algumas sugestões axiológicas para eventuais comunicações:

Crítica e instituições
Crítica e esfera pública
Crítica, ética, estética e política
Crítica sem autoridade
Crítica e (re)criação
Crítica e sentido
Crítica como dramaturgia
Construção crítica do contemporâneo
Práticas participativas na crítica contemporânea
Critica sem fronteiras
Crítica e cidadania

Línguas de comunicação: Português, Inglês, Espanhol, Francês

Calendário: 

26 de Abril: Envio de propostas de comunicação (resumo de 1500 caracteres com espaços) e breve CV para: criticaeteatro@gmail.com
2 de Maio: Resposta da Comissão científica
6 de Maio: Comunicação do programa definitivo
8 e 9 de Junho: Colóquio na Faculdade de Letras da UL
10 e 11 de Junho: Extensão do Colóquio no Porto no âmbito do FITEI (ver programa próprio no sítio do Festival: http://www.fitei.com/)

Organização:

Bene Martins
Joana Pajuelo Alves
Maria João Almeida
Maria João Brilhante
Mick Greer
Rui Pina Coelho

Comissão Científica:

Ana Pais (CET)
Andrea Porcheddu (U. Roma)
Bene Martins (UFPA)
Christine Zurbach (UEvora)
Diana Damian-Martin (Royal Central School of Speech and Drama)
Fernando Matos Oliveira (FLUC)
Fernando Mencarelli (UFMG)
Jorge Louraço Figueira (ESMAE / Jornal Público / APCT)
Maria Helena Werneck (UNIRIO)
Maria João Brilhante (FLUL)